A porta latina da América do Norte

Por Marcos Barros | País:Estados Unidos
Procurando voos para Miami? clique aqui | Procurando hoteis em Miami? clique aqui

Miami é uma cidade estranha. Talvez não a seja para os moradores, mas para quem a visita certamente é. Lá tem praias bacaninhas, mas que passam longe do que conhecemos de “litoral de tirar o fôlego” como temos aqui no Brasil, tem uma cuba “amostra grátis” em Litlle Havana e uma infinidade de.......brasileiros, latinos de uma forma geral. Definitivamente não é a melhor cidade para se praticar inglês. Um giro nos badalados outlets pode ser aproveitado falando o português rasgado mesmo, dá até para pechinchar como fazemos aqui.

E são mesmo os Outlets a grande, porém manjada, supresa de Miami. Apesar de distantes do centro e de Miami Beach (recomendo demais alugar carro), seus shoppings gigantescos reservam tudo aquilo que esperamos assim que desembarcamos na cidade, preços baixos e variedade de produtos de qualidade. Algumas recomendações: não estacione longe das entradas, tem sido comum histórias de furtos de mercadorias em carros de brasileiros e não dê bola para nenhum quiosque nos corredores dos shoppings, são sempre produtos “revolucionários” e seus vendedores “malas sem alça”. Não dê bola mesmo, passe batido. Valorize seu tempo, pois um dia de shopping passa voando de tão grande que todos são.

Fora os Outlets paridisíacos, Miami tem bons programas noturnos, baladas frenéticas, um aquário bacana e um zoológico show, avenidas gigantescas e toda uma cidade para se descortinar a sua frente conforme for o seu perfil de viajante. É família com filhos? Tem programas próprios para vocês. É casal? Tem outros tipos de programas que vão de baladas a barzinhos e badalações. Solteiro? Tem albergues com baladas a noite inteira, as praias recuperar as energias e muita coisa bacana. Para todos os perfis tem a breguice obrigatória do Art Deco em South Beach, a elegância da Collins Avenue, Bayside, as lojas e restaurantes da Lincoln Road, uma espécie de shopping a céu aberto e local da galeria do artista brasileiro Romero Brito.

E Romero Brito merece um parágrafo a parte, ok, linhas a parte. A cidade ama o estilo e as obras do artista de Recife e atualmente residente em Miami. Para todo o canto que se olha tem o padrão colorido decorando ora um shopping ora um ponto turístico ou mesmo a fachada de um prédio ou hotel.

E por falar em hotel, e a hospedagem? Bom, aí não tem para onde fugir. Miami tem uma rede hoteleira cara. Tem opções mais baratas, sobretudo na região próxima ao aeroporto mas te deixa mais longe do buxixo e muitas vezes nem é tão barato assim. Resumo: Prepare o bolso para hotéis relativamente caros muitos sem estacionamento, sem café da manhã e com quartos em estilo Apart Hotel, paciência, não dá para se ganhar todas em Miami. Se der, reserve um dia ou parte dele, para assistir a um jogo da NBA do Miami Heat no American Airlines Arena. A organização, estrutura e o show que gira em torno do jogo é um espetáculo a parte e vale cada dolar do ingresso.   

E assim é resumidamente Miami. Uma dica: busque descortinar a sua visão da cidade. Explorar as praias e bairros mais afastados da área central, procurar visitar Aventura, Key West ou Palm Beach. Quer mais dicas?

DICAS

- Atenção redobrada com estacionamentos em Miami. Tem as maquininhas antigas para inserir moedas que convertem em tempo de estacionamento, cada 0,25 centavos em moedas vale 15 minutos na vaga. Tem locais que a máquina é diferente, aceita notas e emite um ticket com o tempo que você pode ficar na vaga que deve ser colocado no parabrisa para comprovar o pagamento. Estacionamento gratuito? Só em shopping mesmo.

- Pedágios. Fique atento. Tem o sistema Sun Pass (Passe Livre, semelhante ao nosso Sem Parar) mas recomendo pegar informações se a sua locação de carro prevê passar por esses pontos. Do contrário fique alerto para não pagar multas. Na dúvida escolha sempre as cabines tradicionais paga pagamento em dinheiro. Normalmente custam menos que US$1 mas separe sempre trocados para agilizar o processo.

- Bubba Gump, sim o personagem de Forrest Gump. Uma das suas franquias fica em Miami no shopping BaySide e vale a visita para conferir os seus camarões.

- Vai para Orlando? Siga a Turnpike (atual "Ronald Reagan Turnpike") e siga em frente por quatro horas, não tem erro. Aproveite os tradicionais postos/serviço de estrada para descansar no meio do caminho.

- Tudo nos Estados Unidos gira em torno dos Cupons de desconto, então sempre que possível tente tirar vantagens deles seja em shoppings ou mesmo em hospedagens mais em conta. O hotel Coupons é um bom local para garimpar bons preços de hoteis. http://www.hotelcoupons.com/

- Não faltam opções de outlets mas na minha opinião, o melhor mesmo é o Sawgrass Mills. Fica longe, uns 60kms do centro de Miami mas vale cada Km.

-  Não faltam passeios de barco (tem até taxi aquático) e cruzeiros bacanas para desfrutar do litoral de Miami.

Marcos Barros é publicitário, carioca mas reside em Brasília. Adora viajar sempre que o tempo permite...e quando não permite também.

Pág 1 de 1 1 2 »

Analisador de destinos?

Como é bom a "pré-viagem", não? Aquela preparação, a expectativa, os detalhes. Vivendo a viagem, a partir de agora, será seu companheiro do início até o fim de sua viagem. Quer saber como tira visto para a Turquia? Aqui você descobre como. O que fazer para minimizar o risco de extraviar suas malas? Aqui tem. . E muitas outras coisas bacanas. Agora em um só lugar.

Um guia de viagens?

Está próximo da sua viagem. Você já fez aquela pesquisa na internet sobre o local que você vai visitar e pegou uma infinidade de informações e dicas? Aqui será o local daquela dica diferenciada, do detalhe que faz a diferença, das curiosidades culturais interessantes que para muitos passam desapercebidas e, porque não, das tradicionais roubadas que sempre entramos em viagem.

Seu companheiro

Vivendo a viagem é sobre turismo, hotéis, resorts, pousadas, pacotes turísticos, destinos, passagens, câmbio, restaurantes, passeios e tudo mais que envolve uma viagem seja nacional ou internacional. É sobre as roubadas que sempre existem, sobre aquela vontade deliciosa de explorar o desconhecido. É sobre viajar mas, acima de tudo, é sobre viver ou sobreviver em outras cidades.